30 junho 2016

Como eu era antes de você - Duplo Review

Olá pessoal, como vocês estão?

Hoje eu vim aqui pra fazer uma resenha do livro e do filme "Como Eu Era Antes de Você" by Jojo Moyes. Eu teimei muito para ler o livro justamente por já saber como ia terminar (obrigada, mãe!), mas me rendi e amei!
O Livro
Publicado pela Intrínseca, em 2013 com 320 páginas
"Aos 26 anos, Louisa Clark não tem muitas ambições. Ela mora com os pais, a irmã mãe solteira, o sobrinho pequeno e um avô que precisa de cuidados constantes desde que sofreu um derrame. Sua vidinha ainda inclui o trabalho como garçonete num café de sua pequena cidade - um emprego que não paga muito, mas ajuda com as despesas - e o namoro com Patrick, um triatleta que não parece muito interessado nela. Não que ela se importe.

Quando o café fecha as portas, Lou é obrigada a procurar outro emprego. Sem muitas qualificações, consegue trabalho como cuidadora de um tetraplégico. Will Traynor tem 35 anos, é inteligente, rico e mal-humorado. Preso a uma cadeira de rodas depois de ter sido atropelado por uma moto, o antes ativo e esportivo Will agora desconta toda a sua amargura em quem estiver por perto. Sua vida parece sem sentido e dolorosa demais para ser levada adiante. Obstinado, ele planeja com cuidado uma forma de acabar com esse sofrimento. Só não esperava que Lou aparecesse e se empenhasse tanto para convencê-lo do contrário.

Uma comovente história sobre amor e família, 'Como eu era antes de você' mostra, acima de tudo, a coragem e o esforço necessários para retomar a vida quando tudo parece acabado."
Queria mais contar para vocês sobre minha experiência ao ler esse livro, do que resenhá-lo. Eu ri, chorei, fiquei angustiada, reflexiva, pasma até! E acima de tudo completamente irritada com a autora por sua habilidade em manipular nossas emoções e pensamentos. Explicando: antes de ler o livro eu condenaria a atitude de Will, com veemência e argumentos, mas após entender sua história e ver a evolução dele ao longo do livro não me restou mais nada ao final a não ser apoiá-lo. Recentemente perdi um grande amigo e cheguei à conclusão que o nosso maior dever para com as pessoas que nos amam é viver intensamente. Rir, chorar, apreciar os sabores e cores do dia como se cada experiência fosse única. Fomos fadados desde novos à esconder nossos sentimentos, a sermos superficiais, mas isso só nos afasta do verdadeiro sentido de viver. Temos que transbordar vida e nada menos que isso, temos que fazer valer a pena, nem que seja uma ida ao colégio ou um almoço em família. E foi isso que aconteceu com o nosso protagonista, ele chegou ao seu limite. Ele ainda era capaz de amar e ser feliz como a Lou conseguiu mostrar, porém ele não conseguia mais transbordar. Sua dor física e emocional o impediam de ser Will Traynor, o impediam de ser ele mesmo e todo o livro gira ao redor de nos fazer compreender isso.

"Você tem apenas uma vida e é seu dever vivê-la da melhor forma possível"

O Filme

Não podemos começar a falar do filme sem antes deixar claro a exímia atuação de Emilia Clarke e Sam Claflin. Emilia conseguiu caracterizar a Lou de forma perfeita e delicada, em cada gesto e frase dita e acredito que para o Sam interpretar o Will foi um de seus papéis mais desafiadores no mundo do entertenimento, conseguimos sentir suas dores e dificuldades através de sua atuação.
O filme deixou alguns detalhes de lado, mas nada que tenha comprometido a estória, pelo contrário conseguiu complementá-la de forma impecável.
Pude reparar mais em alguns personagens secundários, como a Sra. Traynor, que partiu meu coração em uma das cenas finais.
Apesar de lidar com temas delicados e "tabus" para nossa sociedade conservadora, o filme foi sutil e doce, mostrou os dois lados da decisão do Will e deixou o público bem dividido em sua opinião. Eu não consegui não entendê-lo ou não apoiá-lo ainda mais depois de assistir ao filme. Não quero dar mais spoilers do que já dei então: assistam o filme! Leiam o livro! De mente e coração abertos, pois sua beleza não está nos momentos de romance óbvio e sim, naqueles que nos fazem questionar, pensar e entender o valor das nossas decisões perante a vida.

E aí, gostaram? Querem mais posts assim?

Deixem aquele joinha e comentem abaixo!
Beijinhos da Jú
@jualmeidaa93

Nenhum comentário:

Postar um comentário